Como saber se as peças do PC são compatíveis? Entenda aqui

HARDWARETecnologia

Se você é gamer, em algum momento da sua vida você vai desejar passar pela experiência de montar o seu próprio computador.

Encaixar peça por peça, apertar o botão ver a máquina ligar é uma coisa maravilhosa!

No entanto, todos sabemos que não é uma tarefa fácil, visto que diversos detalhes estão atrelados à montagem do equipamento.

Não fique triste se o computador não ligar, é muito difícil acertar a posição dos hardwares e a conexão dos cabos logo na primeira tentativa. Por isso é importante saber como montar um PC do zero!

Além disso, existe outra questão importantíssima na montagem de um PC gamer: a compatibilidade. Os hardwares atuais são elaborados com tecnologias e formatos bem específicos!

Na verdade, esse é um assunto tão importante que resolvemos dedicar um texto apenas para ele. Confira como saber a compatibilidade de cada uma das peças do seu PC!

1. Processador, o cérebro da máquina

Todas as peças de um PC são importantes. Entretanto, algumas são indispensáveis, como processador, placa-mãe, fonte, armazenamento e memória RAM.

Para evitar perdas de desempenho até a falha completa, é fundamental garantir que todas as peças de um setup sejam compatíveis e instaladas corretamente.

A melhor maneira de verificar a compatibilidade das peças é por meio do site do fabricante. Por lá, eles disponibilizam uma lista que especifica todos os componentes que podem trabalhar em conjunto.

Adquirir um processador incompatível não vai nem deixar a sua máquina ligar!

Dessa forma, certifique que a motherboard é elaborada para aquele processador. Em uma CPU da Intel é mais simples de conferir esses detalhes. Isso porque a compatibilidade é estabelecida pela geração do chip. Por exemplo, o i5-10400f:

  • i5: linha do processador;
  • 10: geração do hardware;
  • 400: modelo;
  • F: indica que a placa não possui uma GPU integrada, ou seja, é preciso de uma placa de vídeo para ter imagens.

Aproveite o momento para conferir algumas dicas para escolher o monitor gamer perfeito para o seu setup!

Nesse caso, é necessário adquirir uma placa-mãe que trabalhe de acordo com a linha e a geração do processador.

Ainda mais no caso da Intel, que lançou, em 2021, os modelos da 11ª geração, elaborados com socket diferente, o que requer uma nova motherboard compatível com a CPU.

Então, se você está adquirindo as peças pensando em um futuro upgrade, cuidado. Alguns hardwares podem não oferecer o mesmo suporte das peças atuais.

2. Placa-mãe, a principal peça de um computador

Não é à toa que ela tem essa nomenclatura. A placa-mãe é, literalmente, mãe dos hardwares. Responsável por conectar todos os outros componentes, ela também possui o papel de garantir que tudo funciona corretamente e com segurança.

Antes de comprar uma, certifique-se da compatibilidade do equipamento, especialmente com o processador.

Atualmente, duas marcas são as responsáveis por grande parte das Unidades Centrais de Processamentos (CPU): Intel e AMD. Assim, você deverá se atentar em alguns detalhes, como:

  • A compatibilidade de marca: algumas placas-mãe operam apenas com Intel ou AMD;
  • CPUs com soquetes diferentes: mesmo sendo compatíveis, alguns hardwares podem não apresentar o encaixe certo para o modelo;
  • Slot compatível: confira o DDR da memória RAM que será utilizado;
  • Comporte a conexão da GPU: disponibilidade de slots PCI-Express;
  • Conexões com HDs ou SSDs: por meio de portas SATA ou PCIe.

Mencionamos alguns aspectos da memória RAM, mas você pode continuar conferindo tudo sobre elas no nosso post.

Além desses aspectos, você precisa levar em consideração os tipos de conexões que a placa-mãe fornece, como USBs (2.0, 3.0 ou 3.1), saídas de áudio e vídeo, ethernet, Wi-Fi e outros.

3. Fonte de energia, sem ela nada existirá

Conhecido também como Power Supply Unit (PSU), esse é outro componente indispensável à máquina. É a fonte que garantirá a distribuição de energia em todos os hardwares do seu computador.

É isso mesmo, sabia que todas as peças da sua máquina consomem energia?!

É por isso que a fonte é um dos últimos hardwares a ser escolhido. Isso porque é necessário fazer uma soma da exigência energética de cada hardware.

Se você está montando um PC mais básico, a potência é menor; já para máquinas robustas, a fonte precisa ser estruturada com mais capacidade – lembre-se que algumas placas de vídeo consomem 250W sozinhas!

Entretanto, você não precisa fazer cálculos malucos de todas as peças. Felizmente, alguém já pensou nisso e elaborou um site com esse propósito!

Selecionando as peças, o software calcula a quantidade de energia necessária para rodar aquele sistema. Um deles é o Power Supply Calculator da Cooler Master – uma das principais empresas de PSU do mercado.

Então, não deixe de outras marcas que arrasam na criação de fontes de energia!

4. Armazenamento, guarde o sistema operacional

Para manter um PC em funcionamento, é fundamental que a máquina tenha um método de armazenamento, certo?! Caso contrário, o computador não terá como rodar um sistema operacional e consequentemente não ligará.

Para isso, você pode optar por HDD e SSD. No primeiro caso, existem dois tipos de HD: o IDE e o SATA. Felizmente, o IDE não é mais fabricado. Então, é normal que as máquinas mais atuais sejam elaboradas com as portas SATA. Ou seja, a compatibilidade é importante, mas é provável que ocorra naturalmente a sintonia entre os hardwares.

Com os SSDs, a teoria é a mesma. Por serem equipamentos mais novos, e geralmente melhores que os HDs, os dispositivos também são fabricados com entradas SATA.

5. Memória RAM, a velocidade que a máquina precisa

A memória RAM é uma das principais responsáveis pela velocidade da sua máquina. Assim como os outros hardwares, a RAM é essencial para o computador. Isso significa que se o computador não tiver pelo menos um pente de memória ele nem ligará.

A RAM segue aquele padrão quanto mais, melhor, sabe?! Com apenas uma, o computador funciona, mas não será muito produtivo; com duas o PC terá um desempenho melhor e por aí vai. Isso porque a RAM guarda temporariamente todos os dados que o PC precisa durante o uso.

Para isso, é fundamental que a memória RAM seja compatível com a placa-mãe. Isso porque os chips e até mesmo o formato delas variam. É por isso que atualmente temos a nomenclatura DDR, sigla para Double Data Rate (Taxa de transferência dobrada), o barramento utilizado na transferência de dados.

Então, se a sua motherboard é moderna, certamente ela será desenvolvida para suportar modelos de DDR4 ou até mesmo DDR5. Caso a memória seja muito antiga, não será possível conectá-la, impossibilitando o uso da máquina.

6. Atente-se às peças complementares

Não é apenas os hardwares mais robustos que precisam de atenção com a compatibilidade. Isso porque outras peças também são elaboradas “sob medida”.

6.1 Sistema de Refrigeração

Um bom exemplo é o cooler da CPU, que também é separado devido aos modelos de processadores.

Ou seja, na hora de adquirir um para o seu novo computador, é essencial conferir se o modelo servirá para refrigerar os processadores da Intel ou AMD.

Comprar o dispositivo errado deixará o seu computador sem ventilação, o que pode causar o superaquecimento da máquina.

Portanto, fique de olhos abertos na hora de adquirir o equipamento, normalmente é especificado logo no nome, por exemplo “Cooler X para Processador Intel”.

Mas para a nossa alegria, os modelos mais recentes estão saindo de fábrica com adaptadores para ambas as marcas. Dessa forma, será necessário atentar-se à estrutura de fixação do cooler – mas isso não deve ser um problema para você!

6.2 Gabinete

Montar o computador dentro do gabinete não é uma tarefa muito simples. Algumas pessoas montam fora, mas já pensou montar tudo e na hora de posicionar os hardwares eles não encaixarem? Isso acontece, viu!

Por essa razão, não deixe de conferir o tamanho do seu case. Normalmente ele é baseado nas dimensões da placa-mãe, em medidas nomeadas da seguinte maneira:

  • EATX: um dos maiores modelos de placas-mãe e gabinete;
  • ATX: é o tamanho mais utilizado em computadores convencionais;
  • Micro ATX: as placas do tipo Micro ATX são menores que os modelos ATX;
  • Mini ITX: É o menor modelo de placa-mãe do mercado.

Então, na hora de adquirir tanto a motherboard quanto o gabinete, procure por essas informações, assim você estará assegurando que os hardwares sejam posicionados sem nenhum tipo de problema.

Principalmente a placa de vídeo, que alguns modelos podem ser bem grandes, como a Radeon RX 6000 que pode ter até 3 fans de refrigeração!

Gostou de saber um pouco mais sobre como funciona a compatibilidade dos computadores? Deixa um comentário de feedback para nós!

E se quiser comprar um PC gamer completo e barato para facilitar a sua vida por enquanto, acesse a loja da Shopinfo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *